Do que se trata?

Estamos acostumados a assistir a filmes e animações que não raras vezes atropelam as leis da Física sem muita cerimônia. Enquanto diversão, não há nada de mal em ver alguns exageros no cinema. Afinal, se todas as leis físicas fossem respeitadas não existiriam super-heróis. Assim, não perderemos tempo analisando os feitos dos super-heróis. Dedicaremos nossa atenção aos exageros observados em cenas isoladas e desvinculadas de superpoderes. Aliás, do nosso ponto de vista, os melhores exageros são aqueles que aparecem em filmes de caráter mais sério, com pessoas normais. Vamos identificar a infração cometida e fazer alguns comentários a respeito. Esperamos que o estudante se divirta ao mesmo tempo em que aprende um pouco mais de Física.


Bad Boys II - Escalas de tempo assíncronas

Tiroteios no cinema são ocasiões em que o diretor pode lançar mão de efeitos especiais requintados. Na sequência inicial do filme Bad Boys II (2003), os detetives Mike Lowrey (Will Smith) e Marcus Burnett (Martin Lawrence) ficam reféns de um grupo de fanáticos da Ku Klux Klan, envolvidos em narcotráfico. Na sequência, há um tiroteio intenso entre os policiais e a bandidagem. Para salvar a vida de seu amigo Marcus, prestes a ser alvejado, Mike dá um salto em câmera lenta e faz dois disparos em direção ao atirador. A partir daí, a câmera segue um dos projéteis até atingir seu alvo, que é o pescoço do bandido. Só que no caminho as pessoas que aparecem ao fundo da trajetória da bala movem-se muito mais rapidamente do que era de se esperar. Vejamos o raciocínio. Uma pessoa normal correndo muito consegue percorrer cerca de 4 metros em 1 segundo, ou seja leva cerca de 0,25 segundo para percorrer 1 metro. A pistola usada por Mike é uma Glock 17s, cujos projéteis deixam o cano a uma velocidade de aproximadamente 457 m/s (1646 km/h). Isto significa que no intervalo de tempo que uma pessoa leva para correr 1 metro, o projétil da Glock 17s percorre 114 metros. Em outras palavras, enquanto a bala percorre 1 metro, um bandido correndo deveria se deslocar apenas cerca de 9 milímetros. Certamente não é isso o que vemos durante essa sequência.

Fonte: "Física" no cinema - Escalas de tempo assíncronas", YouTube


Æon Flux - Equilíbrio insólito

Em Æon Flux (2005), a personagem Æon (Charlize Theron) escala as paredes de uma construção que tem a forma de um tronco de pirâmide de base quadrada. No alto dessa construção há um gramado muito bonito, cercado por uma mureta estreita quase nivelada com o gramado. Ao pisar nessa mureta, Æon desequilibra-se e, durante a queda, percebe que a grama é capaz de transformar-se em finas lâminas pontudas. Para evitar os ferimentos perfurativos, nossa heroína tenta equilibrar-se próxima a um dos cantos da mureta e, fazendo isso, suas pernas em perfeito espacate formam a hipotenusa de um triângulo retângulo isósceles com as muretas. O mais incrível é que o tronco de Æon fica projetado para frente, na horizontal, paralelo ao gramado. Ora, nessa configuração não há possibilidade de haver equilíbrio estático. O motivo é que o centro de gravidade do corpo está muito longe de seus pontos de apoio (os pés). Sendo assim, o peso do tronco gera um poderoso torque em relação aos pés no sentido de fazê-la cair sobre a grama. Sem o uso dos braços é impossível manter-se nessa posição. Para não prolongar a desobediência às leis da Física, sua colega Sithandra (Sophie Okonedo) puxa-a de volta à vertical.

Fonte: "Física" no cinema - Equilíbrio insólito, YouTube


Tropas Estelares - Violação da conservação do momento linear

No início do filme Tropas Estelares (1997), dirigido por Paul Verhoeven, um asteróide que se aproxima da Terra é atingido por mísseis e explode. Só que, a partir do instante da explosão, seus destroços espalham-se pelo espaço como se o asteróide estivese inicialmente em repouso. Isso viola o princípio da conservação do momento linear. Admitindo-se que o momento linear do asteróide é muito maior do que o dos mísseis e que a explosão tenha ocorrido próxima ao centro do asteróide, o movimento do centro de massa dos destroços deveria continuar aproximadamente invariável. Ou seja, embora haja espalhamento de pedaços do asteróide por toda parte, o centro de massa do asteróide despedaçado deveria seguir essencialmente a mesma trajetória original do asteróide íntegro.

Fonte: "Física" no cinema - Violação da conservação do momento linear", YouTube


Madagascar - Violação da conservação do momento angular

Na abertura do longa de animação Madagascar (2005), a zebra Marty salta sobre um vale e, durante o vôo, executa belas piruetas. No entanto, um princípio fundamental da Física, o da conservação do momento angular, proíbe que tais manobras sejam executadas a partir de nenhum movimento de rotação inicial do corpo do animal.

Fonte: "Física" no cinema - Violação da conservação do momento angular", YouTube


Velocidade Máxima - Salto impossível

Numa das cenas de maior tensão de Velocidade Máxima (1994), um ônibus que explodirá caso trafegue a menos de 50 mi/h (80 km/h) segue por um viaduto dirigido por Annie (Sandra Bullock), que é assessorada pelo agente do FBI Jack Traven (Keanu Reeves). O problema é que o viaduto ainda está em obras e possui um vão ainda inacabado. Como fazer para transpor o vão, uma vez que suas extremidades são niveladas e, portanto, sem que haja a menor chance de executar um salto sobre o vazio? Na vida real haveria 100% de chance do ônibus cair e se espatifar lá embaixo. Por que isso iria ocorrer? Imediatamente antes do salto o ônibus possui velocidade horizontal, ou seja, sua velocidade vetorial não possui componente na vertical. Portanto, uma vez que abandona o viaduto, a aceleração da gravidade imediatamente passa a acelerá-lo para baixo. Isso torna impossível que o ônibus consiga alcançar o lado oposto do vão, completando o salto.

Fonte: "Física" no cinema - Salto impossível", YouTube


Super-Homem - O Filme - Voltando no tempo

Não é preciso dizer que analisar a obediência de leis físicas em filmes como Super-homem - O Filme (1978) é uma verdadeira perda de tempo. No entanto, não posso deixar de comentar uma das cenas mais bizarras da história do cinema. Transtornado com a morte de sua amada Lois Lane (Margot Kidder), o super-homem (Cristopher Reeve) tem uma ideia brilhante: fazer retroceder o tempo e, assim, trazer o amor de sua vida de volta à própria. Mas como fazer isso? O raciocínio do homem de aço é simples: se o mundo funciona do jeito é, com a Terra girando do jeito que gira, se o sentido de rotação da Terra for invertido, o mundo funcionará ao contrário, ou seja, haverá inversão do sentido da linha do tempo. Portanto, o primeiro absurdo é imaginar que o sentido de rotação da Terra tem alguma coisa a ver com o fluxo do tempo. A segunda coisa espantosa foi o modo como o super-homem inverteu a rotação de nosso planeta. Como um corpo no vácuo que gira em torno da Terra pode influenciar de algum modo o movimento angular do planeta? A única maneira de fazer isso seria se o movimento do super-homem tivesse origem a partir do próprio movimento da Terra (conservação do momento angular), o que parece não ser o caso.

Fonte: "Física" no cinema - Voltando no tempo", YouTube


Início