Página inicial
1. Medições
2. Tempo
3. Fundamentos matemáticos
4. Posição e deslocamento
5. Velocidade
6. Aceleração
7. Movimento


1 - Introdução   7 - Linha do tempo
2 - Padrões de tempo   8 - Instante de tempo e intervalo de tempo
3 - Primeiros instrumentos para a medição do tempo   9 - Referencial de tempo
4 - Relógios de pêndulo 10 - Cronômetros medem intervalos de tempo
5 - Relógios modernos 11 - Relógios marcam instantes de tempo
6 - Unidades de tempo 12 - Escalas de tempo



Discute o conceito de tempo. Compara as diversas definições de tempo em variados contextos. Mostra ao estudante a importância do tempo no estudo da física. Ressalta a importância de conhecer o intervalo de tempo decorrido em diversas situações envolvendo a evolução do universo, da Terra e da espécie humana.


Início



Utiliza o filme “Náufrago” para introduzir a noção de padrões de tempo. Mostra que a periodicidade da ocorrência de um fenômeno é condição necessária para que o mesmo possa ser utilizado como padrão de tempo. Discute os diversos fenômenos naturais utilizados como padrões de tempo ao longo da história.


Início



Discute os fundamentos envolvidos na medição do tempo de três instrumentos antigos: a ampulheta, o relógio de sol e o relógio de água. Exibe fotos e filmes onde aparecem instrumentos em pleno funcionamento.


Início



Discute os princípios físicos envolvidos no funcionamento dos relógios de pêndulo. Define os principais parâmetros do movimento oscilatório do pêndulo, tais como freqüência e período. Mostra que é a independência do período em relação à amplitude do movimento do pêndulo que possibilitou sua utilização como padrão de tempo confiável para a medida do tempo. Analisa aspectos históricos relacionados ao uso dos relógios de pêndulo.


Início



Discute a evolução dos medidores de tempo pós-pêndulo, desde os relógios mecânicos, passando pelos relógios de quartzo, aos relógios atômicos. Faz conhecer ao estudante a existência do NIST-F1, o relógio atômico mais preciso do mundo.


Início



Discute as unidades de tempo utilizadas em ciências e no dia-a-dia, como o segundo, o minuto, a hora, o dia, o mês, etc. Discute também os principais submúltiplos do segundo, como o microssegundo, o nanossegundo, etc., e os principais eventos que ocorrem na escala de tempo destes submúltiplos.


Início



Define a expressão “linha do tempo”. Discute dois exemplos de linhas do tempo: a do planeta Terra e da evolução da televisão.


Início



Utiliza a linha do tempo da televisão para definir duas grandezas físicas fundamentais relacionadas ao tempo: o instante de tempo e o intervalo de tempo.


Início



Introduz a noção de referencial de tempo e sua representação gráfica por meio de segmentos de reta acoplados a uma escala de tempo. Discute o uso dos referenciais de tempo no monitoramento dos fenômenos físicos. Mostra que os calendários utilizados no mundo nada mais são do que um tipo de referencial do tempo. O calendário ocidental, ou gregoriano, é discutido em detalhes.


Início



Esclarece o uso do cronômetro como instrumento de medida de intervalos de tempo. Faz associação do uso do cronômetro com o referencial de tempo para o monitoramento temporal de fenômenos físicos. Utiliza a prova olímpica dos 100 m rasos do atletismo como exemplo de uso dos cronômetros. Exibe um trecho de filme com a conquista da medalha de ouro por César Scielo na prova dos 50 m nado livre nas olimpíadas de Pequim, em 2008.


Início



Esclarece o uso do relógio como instrumento de medida de instantes de tempo. Utiliza uma situação fictícia em que um casal de namorados marca um encontro no shopping para assistir a uma sessão de cinema para ilustrar o uso dos relógios. Esclarece que o Observatório Nacional, localizado no Rio de Janeiro, é a referência oficial de hora do Brasil.


Início



Faz uma resenha sobre a teoria mais aceita da origem do universo, a teoria do Big Bang, e mostra a evolução do universo, a formação do sistema solar e da Terra, o aparecimento e evolução da vida e da espécie humana. Os fatos discutidos são sempre relacionados ao referencial de tempo, que tem como marco zero o instante da grande expansão inicial.


Início